quarta-feira, 6 de abril de 2011

O Terapeuta do Olhar


Vezenquando visito meus livros antigos, há sempre um novo olhar sobre alguma leitura feita há muito tempo. Semana passada estive folheando o “Espelho Mágico”, 1º livro que li do Dr. José Angelo Gaiarsa.
A leitura dos seus livros me deu um novo olhar em direção ao processo terapêutico, diferente de grande parte da aprendizagem no período universitário.
Os vídeos são de 2008, Dr. José Ângelo Gaiarsa faleceu em Outubro de 2010, mas seus ensinamentos estão vivos na prática psicoterápica de muitos dos seus admiradores.





“Amar o outro é a 1ª condição de liberdade. Para amar é preciso aceitar-se a si próprio e depois aceitar o outro”. José Angelo Gaiarsa

5 comentários:

Maria Thereza disse...

Oi RÊ, como já te disse uma vez, este homem foi como um mestre para mim na adolescência! Genial no entender-nos, no animar-mos, encorajar-nos. Quando tantas vezes tive medo de ser como queria, ele me mostrava a importância de ser como sou e SER com toda minha intensidade. Sei que muito falta em mim, mas nada tão difícil como a falta de uma migo chamado Ângelo!
Belo post e ótima homenagem!
Obrigada, pois ouvir ou ver o mestre Ângelo é sempre muito renovador.
Beijos

Lisete de Silvio disse...

Amiga, excelentes postagens. Ele marcou época, fez escola.
Obrigada.
Bj,
Liss

Anônimo disse...

Isso mesmo, amiga.Um anjo chamado Angelo no campo da psicoterapia, sem importar o pleonasmo da comparaçao. Na obra de Pietro Ubaldo " . . . de que adianta saber se nao sabeis amar ?. E Santo Agostinho arremata assim : " A medida do amor é amar sem medida". Um abraço fraterno. Leandroderecife.

Cida Valle disse...

Eu também o descobri na minha adolescência.Parece que é na descoberta que se encontra O Olhar.
O nosso mestre Gaiarsa nos instiga,nos incita,nos investiga daquele jeitão carinhoso e encorajador.
Somos melhores por ele,concorda?
(Ele detestaria essa frase!)

Max disse...

Rê,
Há aqueles que influenciam nossa postura profissional, mas esse olhar para o outro já existia em você.
Saudade.