domingo, 12 de agosto de 2012

O barbeador de papai


O barbeador de papai
Ao entrar em uma farmácia para comprar um “Melhoral” meus olhos se fixaram em um pequeno estojo de aparelho de barbear. Comprei-o e presenteei meu pai. Ele me deu um beijo, agradeceu e guardou-o na gaveta da cômoda de seu quarto.
Não teve tempo de usar. Três dias após ele partiu.
De repente me lembrei desse pequeno objeto, guardado na minha caixinha de afetos durante tantos anos.
Convivi com meu pai apenas 21 anos, mas tempo suficiente para absorver sua ética, sua indignação diante das injustiças sociais, seu carinho pelos desfavorecidos social e economicamente e sua maneira delicada de presentear sempre acrescentando algo afetuoso ao objeto ofertado.
Saudade de você, pai.

2 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo post e quem não lembra desses aparelhos deles? Adorei e que saudade,né? beijos,chica

Anônimo disse...

Deixa-me emocionado, amiga. Lembro-me do meu queridíssimo papai. Um abraço fraterno.

Leandroderecife.