sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Poetas Tribalistas

Revisitando Manoel de Barros não pude deixar de associar essa poesia aos meus amigos poetas tribalistas.

Com carinho procês.

A disfunção


Se diz que há na cabeça dos poetas um parafuso de a menos.

Sendo que o mais justo seria o de ter um parafuso trocado do que a menos.

A troca de parafusos provoca nos poetas uma certa disfunção lírica.


Nomearei abaixo 7 sintomas dessa disfunção lírica.


1-Aceitação da inércia para dar movimento às palavras.

2-Vocação para explorar os mistérios irracionais.

3- Percepção de contiguidades anômalas entre verbos e substantivos.

4-Gostar de fazer casamentos incestuosos entre palavras.

5-Amor por seres desimportantes tanto como pelas coisas desimportantes.

6-Mania de dar formato de canto às asperezas de uma pedra.

7-Mania de comparecer aos próprios desencontros.


Essas disfunções líricas acabam por dar mais importância aos passarinhos do que aos senadores.


Manoel de Barros, In Tratado Geral das Grandezas do Ínfimo

5 comentários:

teresapraia disse...

Amei Regina.....

Comparecer aos próprios desencontros e o casamento incestuoso entre as palavras fez um eco descomunal dentro de mim.....

Tu é muito linda.
Obrigada.....
Beijo!!!

vivian disse...


Manoel de Barros sempre ele!
Sou grata a você por ter me apresentado esse poeta tão sensível, tão menino.
abs.

Damáris disse...

Re,vc sempre soube que Manoel de Barros é um dos meus preferidos.
Uma vez li uma entrevista dele, e ele responde que o poeta precisa de ócio pra manter-se poeta, e, que ele evoluiu quando conquistou merecidadamente este "ócio". Nós aímos ganhando. Manoel de Barros
fatia minuciosamente os detalhes
dos átomos, ele vê coisas que nós
não vemos, e sua sensibilidade é a tradutora.

Bom, ele é tudo e voce Regina é dez!!!!!!!!!!
Damáris

Denise Pires disse...

Regina, realmente Manoel de Barros é tudo de bom e como disse nossa querida amiga Damáris vc é dez.

Tá lindo, amiga! Obrigada pelo carinho!

Beijos...

Denise Pires

Ju disse...

Re querida, Manoel de Barros é incrível. Vejo que me falta muito para eu "estar poeta", já que não nasci poeta.Mesmo assim reconheço lá num cantinho escondido de mim os sintomas 2 e 5. Amei o seu carinho, e tenho certeza de que nossos amigos tribalitas também. Você é um encanto de pessoa, e não esqueço das "pílulas especiais" que você nos presenteou. Guardo com carinho até hoje.
E parodiando o poeta eu diria que "a 15 metros da Regina o sol é cheiroso".

BeiJukinhas meu anjo.