terça-feira, 1 de junho de 2010

Futebol é religião?

Em 14 de abril postei aqui Os religiosos e suas intolerâncias.
Hoje recebi, por e-mail, uma análise profunda sobre o acontecido feita pelo Pastor Ed René Kivitz. 
Quanta lucidez!

No Brasil, futebol é religião

Os meninos da Vila pisaram na bola. Mas prefiro sair em sua defesa. Eles não erraram sozinhos. Fizeram a cabeça deles. O mundo religioso é mestre em fazer a cabeça dos outros. Por isso, cada vez mais me convenço que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em detrimento das categorias da religião.
A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé. A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé.
Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o inferno; ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo; ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo religião. Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião. Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.
O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. A religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem falar nos adoradores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai. E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixem de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.
Mas, quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz.
Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, faz com que os discordantes no mundo das crenças se deem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião.
Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no ônibus. Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia mental.

Ed René Kivitz, cristão, pastor evangélico, e santista desde pequenininho.

5 comentários:

Max disse...

Regina,
Aprendi na minha infância o que acredito seja o princípio máximo do Cristianismo: “Amai ao próximo como a ti mesmo”.
Quando li sobre a posição desses meninos jogadores, confesso que senti uma revolta muita grande. Lendo essa crônica maravilhosa entendo o porquê da posição deles. Eles não trazem religiosidade dentro de si.
Obrigada por me proporcionar uma nova visão e vou procurar na internet outros artigos deste Pastor.
“Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia mental.”
Esse final me leva a crer que muitos ditos “normais” sofrem de paralisia emocional.
A Paz esteja conosco!

Maria Thereza disse...

Nossa, amiga que bom saber que alguém pensa! Espiritualidade, sim todos os que estão imbuídos no seguir com certeza, como disse o pastor, descem do onibus. Aí que coisa ler alguém explicando o que poucos estão enxergando!! Haloooowwww...solidariendade, compaixão, amizade, companheirismo, consolo...tudo isso esta em todas as religiões, ou será que não. Concordo com o Sr. Max, quantos ditos "normais" estão nos mostrando sua total paralisia emocional. Por favor pensem, o dia de amanhã não nos pertence e só Deus sabe! Vamos arregaçar as mangas, esticar os braços ou estender as mãos!
Por favor!!!
Beijos e parabéns ao Pastor por enxergar o verdadeiro significado de espiritualidade!
Beijos amiga e parabéns!

vivian disse...

Espiritualidade é ver o outro na sua essência e não nos seus rótulos.
Fico feliz em ler palavras tão esclarecedoras quando estamos cansados de assistir a lavagem cerebral.
O que cá prá nós não concordo com esse termo, acho que existe mesmo é emporcalhação cerebral.
abraço meu.

Georgia disse...

Regina, vim te avisar que vocês estao no ar:

http://elasestaolendo.blogspot.com/2010/06/encontro-do-blog-o-que-elas-estao-lendo.html

Beijao

O que elas estao lendo!? disse...

Bom dia Regina, tudo bem?

Olha estaremos programando o próximo encontro em Vicosa, Minas Gerais. Tem alguém que visita o teu blog que mora para os lados de Minas Gerais? Pode me informar?


Te desejo uma semana linda e abencoada