sexta-feira, 12 de junho de 2009

Para Maria Helena

Em comemoração ao Dia dos Namorados reproduzo o acróstico que papai escreveu para mamãe quando ela, por ciúme, desmanchou o namoro.

Acredito que foi depois dessa declaração de amor que reataram o namoro.

O casamento deles durou 39 anos separando-se com o falecimento de papai em 1975.


Acróstico

Para Maria Helena

Mesmo desprezado, embora assim, te quero

Ainda que odiado, (pois ódio me juraste)

Recordo sempre aquele amor sincero

Imaculado amor! Que tu esfacelaste

A troco de caprichos – o teu prazer severo

Horas ditosas! Aquelas que a teu lado

Ébrio de amor eu nem passar sentia,

Longe vão elas, sem mais terem voltado;

Embora, eu, a Deus de noite e dia,

Numa capela implore ajoelhado

Aquelas horas que eu nem passar sentia.

João de Jesus / 11 de abril de 1933



2 comentários:

Elaine disse...

Olá!
Bom dia!!!
Estou passando para te desejar uma sexta-feira maravilhosa, cheia de coisas boas!Também estou passando para conhecer seu blog.Seu pai era mesmo um apaixonado, né?
Beijos.
Fique com Deus.

Amaris Poesia disse...

Amiga, eu já havia lido estes versos em outra oportun idade. Revê-los pra mim é tão importante,
como escrever uma poesia, porque sei que nasceram de um amor sincero. Isto faz do seu pai uma poeta! É lindo!