quinta-feira, 4 de junho de 2009

Puxando nossos cordões

Puxando seus próprios cordões

Somos ligados

de maneiras invisíveis

aos nossos medos,

somos o títere

& o titereiro,

as vítimas de nossas

expectativas.

Fios de seda puxam,

braços & pernas

mexem-se & se sacodem.

Dançamos de acordo com a música

de nossos medos,

corpos encolhidos por dentro,

crianças escondendo-se, fingindo,

sob pedras,

por trás daquela árvore,

em algum lugar, em toda parte,

não o que controlamos.

Puxe seus próprios cordões,

entre no seu corpo

& de acordo com o compasso da vida

corte seus cordões,

estenda a mão para o desconhecido,

caminhe pela escuridão,

abra os braços

para o abraço do ar,

transforme-os em asas

que voam.

Gayle Spanier Rawlings

Um comentário:

vivian disse...

Estou precisando puxar muitos cordões.....